Fechar



Registe-se na nossa newsletter







Atelier luso desenha futura capital da Guiné Equatorial

Sábado, 05 de Novembro de 2011
© IDF - Ideias do Futuro [Clique no link abaixo para ver mais imagens do projeto]
Esta notícia tem conteúdo multimédia, clique aqui para visualizar
O atelier português Arquitetura e Urbanismo IDF - Ideias do Futuro desenvolveu o traçado da futura capital da Guiné Equatorial, baptizada Djibloho. Esta cidade será totalmente planeada de raiz, respondendo ao desejo do Presidente Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, avança a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

(AICEP).

Esta nova capital, que se vai formar numa área de 8.150 hectares, será um novo pólo de atração da população, prevendo-se que cerca de 160 mil habitantes possam viver nesta nova cidade.

O projeto do atelier português tem como base a sustentabilidade. De acordo com a AICEP, este projeto pretende criar a primeira capital mundial inteiramente dependente de energias renováveis e sustentáveis.





FERRAMENTAS
Imprimir
RELACIONADO
NEGóCIOS
COMENTÁRIOS
comments powered by Disqus
Termos de serviço
MULTIMÉDIA
  • Marca de skates dos EUA filma anúncios em Lisboa
  • Rapper D8 lança livro "Podes ser o que tu quiseres"
  • Buraco de Ozono vai desaparecer nas próximas décadas
  • Japão lança cerveja com colagénio que embeleza
  • Filme de Monsaraz vence prémio internacional
  • Livro muda de cenário conforme localização do leitor
  • Revista britânica garante corpo perfeito em 10 semanas
  • Vídeo: Leão de circo pisa relva pela primeira vez
  • Subir escadas reduz risco de AVC em 20%
  • Animais: Curta viral alerta para problema do abandono
  • Reino Unido lança  teste caseiro para detetar VIH
  • Grupo salva deficiente que caiu na linha do metro
  • China: Encontrados 43 ovos de dinossauro fossilizados
  • Bombeiros 'heróis' de Rio Maior salvam cão
  • Férias com animais tornam-se tendência na Europa
DESTAQUES
Image and video hosting by TinyPic

PÁGINAS AZUIS
The Agency.pt ®. Todos os direitos reservados 2011 - 2015.
O BoasNoticias.pt demorou 0.061 segundos a carregar